Friday, August 31, 2007

ESTRATUAGEM ( paZtor Sugar)


ESTRATUAGEM



(pro paZtor Sugar(foto)- porque ele lia muito esse trecho)


A estrada é minha fixação, minha via respiratória.
Meu Édipo realizado.
Nela sou incêndio. Terremoto/diluvio/ventania.
Sou os quatro elementos em convulsão simultânea.
Minhas garras brilham.
Minha cabeça explode.
Meu sangue corre limpo e perfumado ( na estrada)
Longe da sífilis de concreto.
Faço da pele escamas e garfos (faço) de minhas mãos
Tenho a cor da liberdade
...em estado de graça de riso de sol e nascer do dia
Tenho a paixão das águias
E a transparência das gaivotas ( ao entardecer)
Não pare na ida, não pare na volta
Solte os laços, solte os cintos
Solte o vôo e nós seremos os ciganos
Da rota do Norte.

De Joel Macedo, novembro de 71 ( Livro Tatuagem)

www.myspace.com/freakoutmuzik
http://www.youtube.com/watch?v=DHYrYib8Y44

Wednesday, August 29, 2007


Na quinta só pelo fato de saber que te veria à noite
Acordei feliz
Hoje sei que não
E amanha também
O frisson e o tremor no meu corpo
Me fizeram bem
Aquele homem in-di-vi-si-vel
Se partiu
(Mas ainda não estilhaçou)
Por te conhecer:
Hoje choro menos
E me sinto livre pra te amar
Porque teu olhar me liberta
Tua bandeira
Tua cara tua aura
Me fazem sentir vivo vivo vivo vivo vivo vivo vivo vivo
Tranquilamente...

Boomp3.com

Friday, August 24, 2007


NECESSIDADE E EXPRESSÃO
+ NECESSIDADE DE COMUNICAÇÃO
+ NECESSIDADE DE AÇÃO
+ NECESSIDADE DE PRAZER
= BELAS ARTES.

Mario de Andrade, 1924



Drummond

Com a língua portuguesa eu descobri o mundo
Acordei a princesa
Acendi a chama que ardia dentro de mim
Carlos Drummond de Andrade
Das andadas
Me indicou o caminho do meio
Da rua
O jeito de rebolar
De sacudir as ancas
De acabar com toda essa ansiedade
De fechar os olhos prá essa realidade
Que estão querendo nos vender, nos vencer
Mas luto
Escrevo no papel
Foi Luiz Carlos Maciel quem me aplicou
Juntamente com todo lirismo e beleza
Da língua portuguesa...

Links:
http://www.jornaldepoesia.jor.br
http://www.myspace.com/freakoutmuzik

Wednesday, August 22, 2007


Ela me fez mil juras, promessas
Me fará perder o medo do escuro
Me ensinará a dançar
Passeios no zoológico
Me absolveria de todos os pecados
O dia amanhecia
E ela me prometia
Me querer mesmo de mentira
Passar a procuração de todos os seus atos
Beijaria meus olhos enquanto eu dormia
Assim me enfeitiçaria
Me querendo mesmo de mentira
Ela me fez mil juras
Promessas

( Pra Miwky)

Links:

http://www.revista.agulha.nom.br/
http://www.jornaldepoesia.jor.br/
http://www.jornaldepoesia.jor.br/conto.html
http://www.myspace.com/freakoutmuzik
http://www.poemashow.com.br/

ELA DISSE ASSIM




Ela disse assim:
O amor que você sente por mim
É uma coisa enorme, do tamanho do mundo?
Eu respondi que sim
Que era Drummond
E ela insistia
E o amor que você sente pela poesia
É do tamanho Drummond?
Repeti que sim
Que era Do Mundo
E ela insistia
Drummondd-domundo drummondd-domundo-drummond

links:
http://www.revista.agulha.nom.br/
http://www.jornaldepoesia.jor.br/
http://www.jornaldepoesia.jor.br/conto.html
http://www.myspace.com/freakoutmuzik

baseado em Go Back




Você me pede prá ir ao cinema
Entenda:
Eu não quero ver nada daquilo que já sei de sobra
Escuta:
Você reclama, bate o pé e chora
Porque não vamos a grandes reuniões?:
-Olha, eu só posso ir até onde eu aguente a barra.
Mas você grita e PERGUNTA!
Porque não vamos ao ci-ne-ma?
E eu repito:
Não quero ver aquilo que já sei
nao quero ver aquilo que ja´sei
nao quero ver aquilo que já sei de sobra...


link: http://www.revista.agulha.nom.br/
http://www.jornaldepoesia.jor.br/
http://www.jornaldepoesia.jor.br/conto.html
http://www.myspace.com/freakoutmuzik

Tuesday, August 21, 2007

PORQUE VOCÊ NÃO APARECEU?


PORQUE VOCÊ NÃO APARECEU?

PORQUE VOCÊ NÃO APARECEU?

Porque vcê não apareceu?
Tenho te procurado nas gavetas, no meu quarto
Na TV e não te encontro
Tenho te procurado, como procuro DEUS!!:
Dentro de mim, na caixinha do armário
No arroz integral e no Jethro Tull
As vezes fico pensando...
Se você e DEUS prá mim são a mesma pessoa
Porque procuro vocês dois com a mesma intensidade
do meu ser
Com todas as forças que são poucas no momento
Mas eu queria apenas te ter agora
Do meu lado
Acariciando minhas costas librianas
E dançando comigo ao som do Tull
Porque você não apareceu?
Porque você não apareceu?



http://www.jornaldepoesia.jor.br

de repente....

DE REPENTE

De repente Ficou tão tarde
Meu rosto olhando prá trás
Você quem disse...
O brilho nos olhos
Continua o mesmo
E a vida corre do mesmo jeito
Apenas os meus dedos não seguram mais as mesmas coisas
Os mesmos versos
Você quem disse
E eu não entendo porque de repente ficou tão
Tarde
E eu me sinto assim tão disperso...


http://www.jornaldepoesia.jor.br/

Pensando no baby...




Depois de tantos telefonemas pro Rio
Me sinto assim
Pesado, passado...
Pensando que apesar de 8 anos
Continuo cheio de dúvidas
Tanta solidão
Que não te conheço
Que não sei o que passa
Pelos teus dedos
Tua cabeça
Que não sei o que comes
Com quem você dorme
Então quando pego no fone
E penso no Baby
Não consigo me exprimir
Você não vê os gestos que faço
Não consigo ver a cor dos teus cabelos
Mas sei que você morde os lábios
O tempo todo
Cheia de dúvidas...
Pensando no Baby


http://www.jornaldepoesia.jor.br/

Monday, August 20, 2007

Lucille






Lucille
Quando eu te encontrar louca e descabelada
Com aquela tua cara de santa
E de mulher do mangue
Não vou medir nosso amor pelo número de palavras
Que trocarmos
Porque sei que tu tens a picardia de uma mulher vivida
E a inocência de uma criança
E as palavras não brotaram em nossas bocas naturalmente
Levaremos algum tempo até que nossas energias
Se misturem e novamente compreendermos que somos UM!
OMMMMMMMMMMMM

www.revista.agulha.nom.br/

Liége!!!



Você pode até dizer, Liége
Que meus olhos são surdos
Meus ouvidos são cegos
Aceito
Tudo bem
Até que você é louca também
Agora negue
Que a minha boca é muda, surda
Que meus olhos são cegos- os ouvidos surdos
Eu duvido que você diga que eu não
Sou louco por você
Eu duvido que você diga que eu não
Sou louco por você

Prá te agarrar na Cinelândia
Te assustar com a minha língua
Te matar com tanto amor
Agora, só porque meus olhos ficaram de frente pros teus
Não é motivo prá você querer arrancá-los
Só porque eles choram e são tão sinceros:
Liége




Fundo do Oceano.



FUNDO DO OCEANO


As vezes tenho medo que alguém sonhe com o meu quarto
Mexa nas minhas coisas, abra minha gaveta, revire meus textos
e descubra assim, o meu lado obscuro
Tipo o lado desconhecido da lua, "the dark side"
O fundo do oceano
Desvendando aquilo que guardo, que calo
As vezes tenho medo que alguém sonhe com o meu quarto e mexa nas minhas coisas
Leia meus panfletos e descubra assim que a minha revolução
É muito particular
Que minha loucura é pessoal e controlada
Que eu não estou acessível
Que eu sô apaixonado
Que eu acordo e vou prá rua feito um caçador
A espreita do novo...
Que eu acordo e vou pra rua feito um caçador
À espreita do NO-VO!!!

Expressionismus


Ninguém precisa ter medo
ninguém se perde,
nem por causa de um movimento.
um pouco de variedade
é sempre desejável.
E muito mais do que isso
não surge desta magia aqui.

Quando um movimento fez muito,
teve efeito arqueológico:
removeu em nós uma castração.

Não se pense, porem,
que a entrega pura e lisa ao tempo
seja regra e o comum.
Os menos dos homens
vivenciam seu tempo,
isto precisa ser visto duramente;
os mais dos homens
tem negócios a fazer
e não tem tempo
para o seu tempo.

Alfred Doblin, 1918


http://www.jornaldepoesia.jor.br/poesia.html

OUÇA A PALAVRA ELÉTRICA VOL.1