Saturday, January 30, 2010

Carta aberta de Remedios II


Recebi esse texto no meu post e resolvi publica-lo.Eu tentei explicar pra Remedios II
que em Macondo os telefones e a internet nao funcionam.
Saudades muitas de Joao Miguel Joao, meu aprendiz de poeta e futuro Borges baiano. Diga pra ele que levo palavras novas na mochila.



"E eu, Remédios II, onde entro nessa história? Você esqueceu-me, abandou-se ou perdeu sua memória? Eu que guardo até hoje nosso fruto desejável, veio ao mundo estimulado igual poesia Neruda e poetando as primeiras palavras disse: “caneta, rima e papel”. Sabendo os pais que tem, nosso filho Miguel João Miguel, veio ao mundo consciente do seu dom de esclarecer, um fado herdado por nós, que fizemos ele nascer.
Ouvia você cantar Raul, “O que você quer ser quando você crescer” e dormia calmamente enquanto com isso sonhava, meu amor, sua voz pasteurizada pelo álcool, rápida e linda, permanece em nosso quarto. Você, amor, um pai presente em suas histórias compridas, situações criadas e paixões convencidas. Apesar do inferno astral aquário com libra nossa convivência foi com fervor guardada e por mim sua volta é sempre almejada.
Venha ver nosso Miguel, que se espelha em você, mas digo-lhe: seja apenas de uma pra toda vida. Ele responde que será igual você, dono de muitos amores. Ele quer sentir o mundo e sem o maior rancor diz que igual a soneto de Vinicius também quer morrer de amor.
Enfim, aguardo noticias suas. Pois sem você canto de alma nua nossos primeiros versos.
Nosso destino é incerto, ou como sua vidência disser. Então sejamos “Dalva e Erivelto” a escrever nosso amor do futuro e que em nossos momentos de amanhã possa haver menos inverno.
Te encontro qualquer dia com o Miguel João Miguel, levarei um pouco de sol na bagagem, aí ta chovendo muito e ele gosta de olhar o céu em sua plenitude nuvens brancas, isso inspira-o a brincar porque não só de poesia vive nosso baiano pequeno aprendiz de poeta.

Te amo sempre, meu amor prestante..."

5 comments:

Mel said...

fantástico.

Paulo said...

Não se fazem mais cartas assim,
como que saídas da terra que é carne.
abração, birowski.

Remédios II said...

Lindo, lindo e verdadeiro. Somos nós e nosso destino.

Remédios II said...

Te amo, você sabe.

sheyla de castilho said...

ah, o amor e suas concretudes...

OUÇA A PALAVRA ELÉTRICA VOL.1