Wednesday, March 17, 2010

Satelite de si


Quando eu lhe disse que se apaixonaria de novo por mim no futuro
Você disse que 'agora já é tarde'
Mas o que você sabe do Tempo?
O que sabe do Amor?
Você não sabe nada Disso
Embevecida e magnetizada.


Satelizada por si própria
Nunca me 'viu'
Nunca viu ninguém além de você.
Satélite de si própria
Girando em torno de você
O seu umbigo o universo
O Pluriverso é você

Que na própria grandeza já reflete.


Estrela de dois mundos

Vitima de seus agregados?

Sentiu meu Amor em distância?

Mudou e me quis a seu lado?

Entenda, não somos mais concordância.


Você não sabe nada do Tempo
Deixe Ele fora desse assunto
Você não me conhece e nunca me 'viu'
Deixe o Tempo cuidar de meu Amor
Deixe ele passar,
Já passou.


passou.





pa
ssou


já pas
sou.

5 comments:

miwky said...

ai, ai...

e aqui que não passa?

mas o tempo manda em mim. manda eu ficar quietinha e esperar por sua magnanimidade.

beijo!

she said...

já passou!

"lágrima nos olhos pela sua falta de tempo em amar..."

lembra disso?
foi logo após o fim do ano...
logo vem outro.
ano. amor.
dores são inevitáveis.
e que venha o amor, de qualquer forma
e que faça os poemas valerem.

beijoca byrowski!

edilma said...

satélite de si mesma.
foi a coisa mais egoísta q eu já li. phodástico Sr. Dornelles.

Susyanne Alves said...

Tem um monte de gente por aí com esse nível de esgoísmo.
O que nos resta mesmo é esperar passar.
E se passar!

bjs Byra

Byra Dorneles said...

pelo menos virou poesia e sem dor, rs...e to mto bem amado agora, to legal de amor!!!!
bjs, Susy

OUÇA A PALAVRA ELÉTRICA VOL.1